sábado, 10 de novembro de 2012

Amiga para sempre!

                                                               Amiga para sempre!!

        É incrível como a nossa vida segue uma trajetória que ao chegar num certo ponto, paramos e ficamos a analisar os acontecimentos vividos. Porque digo isso?
Porque os acontecimentos com o passar do tempo, vão se encaixando de uma maneira como se fosse um quebra cabeças. E como num rolo de linha, que num dado momento encontrou um nó. Então as coisas acontecem, as lembranças vêm aos poucos tomando con...

ta de nossa mente, e pessoas começam a surgir em nosso caminho, pessoas que nunca ouvimos falar, mas que fazem parte indiretamente da história do nosso passado.É dessa forma que aproveito esse momento para contar a história de uma amizade sincera, de um ser maravilhoso que Deus colocou em minha vida e que só agora descobri o seu paradeiro.
Esse texto não é para um livro, não é um romance e nem tão pouco uma biografia, mas será uma história verdadeira com os seus sobressaltos, sofrimentos, e muita saudade de amizades perdidas no passado por circunstâncias que a vida nos impõe. De amores ceifados por preconceitos raciais e intolerância de pessoas que se julgavam acima do bem e do mau.
Querida Márcia Scárdua, essa é a forma que encontrei para render homenagem a você,que foi um ser maravilhoso,uma mulher de fibra,uma amiga fiel.Sei que Deus tem um lugar especial para pessoas especiais e você é uma delas.Onde estiveres saiba que te procurei em cada rosto que encontrei,mas você é especial por isso não te encontrei,porque já estavas ao lado do pai orando por todos nós.Te amo amiga pra sempre!!

Homenagem aos 12 anjos

                                                            Homenagen aos 12 anjos

Anjos eternos contemplam a face do criador, dizem todos numa só voz, amém, glórias sejam dadas a ti, no céu na terra e no inferno. Anjos de Deus que se tornaram para sempre luz, estarão a louvar e pedir por todos os seus queridos que nesse mundo permaneceram nas trevas de um mundo insensato, medíocre, de pessoas ignorantes e soberbos..Esses anjos foram presentes emprestados por Deus para nesse tempo e espaço se tornarem flores que depois de desabrochar  exalaram seu perfume e purificaram os corações dos seus amores.Chegou o tempo em que o criador necessitou da presença desses anjos para que ao seu lado enviasse força,fé e esperança de um dia se encontrarem no jardim das delícias que para todos está preparado !!!.

Entrevista ao jornal Extra

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Vamos ser felizes juntos!!!

                                                   Vamos ser felizes juntos!!!


Hoje o meu coração amanheceu triste,procurei em cada olhar uma pontinha de sorriso para roubá-lo.Enquanto me debruçava sob a luz do sol que seguia iluminando o meu caminho e me abraçava com todo carinho,percebi o quanto somos egoístas em querer passar por essa vida sem  sofrer,Jesus não nos disse:Pare de sofrer,e sim,tome a sua cruz e siga-me.Seguir em oração e não só lamentando  o peso de nossa cruz.Não se pode querer ser feliz sozinho,isso é egoísmo.A felicidade verdadeira não está aqui nesse paraíso  que poucos transformaram em inferno para muitos.Vamos  seguir nossa jornada em oração e servindo ao nosso próximo,eis aí uma forma de ser feliz,ajudando a quem precisa.Ajudar não é pescar o peixe para saciar a fome do irmão e sim ajudá-lo a pescar para nunca mais ter fome,principalmente a fome de amor,carinho,uma palavra amiga nas horas tristes.Vamos ser felizes todos juntos!!  

domingo, 21 de outubro de 2012

Carminha Morais e Édson

Carminha Morais e Édson,Fabio Ricci e Roberta.Família DÓ-RÉ-MI rssrsr

Passeio em Venda nova do Imigrante,festa da polenta.

sábado, 20 de outubro de 2012






1ª FLIR de Realengo

Entrevista  de Carminha Morais na FLIR,falando sobre os seus livros.



Coletivo artístico realiza a primeira feira literária de Realengo

Integrantes do coletivo artístico Maria Realenga
Integrantes do coletivo artístico Maria Realenga Foto: Nina Lima / Extra

Bernardo Costa
Em 26 de novembro de 2011, o "sarau cultural em terras realengas" marcou a formação do coletivo Maria Realenga. Depois do evento Samba, choro e outras bossas, no fim de fevereiro, a reunião de artistas e intelectuais "não produtivos" de Realengo — como diz o publicitário Jorge Torres — dá um passo adiante: a 1ª Feira Literária de Realengo. Justamente para retirar o "não" da expressão de Jorge.
— O evento é para instigar os autores já publicados do bairro, como Carminha de Moraes, e blogueiros e pessoas que também já escrevem, sem ter a oportunidade de publicação — diz Sidnei Oliva, estudante de Ciências Sociais.
Quem vem nessa leva é o escritor Sérgio Martins, de 33 anos. Morador da comunidade São Cosme e São Damião, no sub-bairro Jardim Novo, ele lançará, durante a feira Zé do Rio, um livro infanto-juvenil que traz muito de sua história no bairro:
— Conto a história de um garoto de 15 anos, morador de favela, que tem um dom artístico aflorado. Com isso, ele começa a mudar a realidade do local onde vive, superando as adversidades.
Além de Sérgio, o homenageado do evento, a professora de Geografia Vanielle Bethânea, de 28 anos, também lançará uma obra infanto-juvenil, "Chapeuzinho verde na Mata Atlântica":
— É uma releitura do clássico que trabalha a questão ambiental. Fala do maior patrimônio que temos aqui na Zona Oeste, o Maciço da Pedra Branca.
As edições que serão lançadas no dia, são feitas de forma artesanal, a partir do papelão que comporta caixas de leite.
O único escritor fora de Realengo, que estará presente, é Flávio Duncan, autor de "Guia afetivo da periferia". A festa será a partir de 16h, no restaurante Bom Petisco, na Avenida Marechal Fontenelle 4473.
Uma resposta para a violência
O coletivo Maria Realenga surgiu como uma resposta cultural ao episódio violento que o bairro viveu em abril do ano passado. O "massacre de Realengo", como ficou conhecido, chocou não só os moradores da região, mas de todo o Rio de Janeiro. Na época, um ex-aluno da Escola municipal Tasso da Silveira entrou atirando na unidade, matando 12 estudantes, com idade entre 12 e 14 anos.
— Queríamos acabar com o estigma de "bairro-tragédia", e resgatar a história de Realengo — diz Sidnei Oliva, de 42 anos.
Jorge Torres, de 44, acrescenta:
— Eu pergunto: "conhece Realengo?", e escuto: "Sim, onde houve massacre". O que queremos como resposta é: "Não onde há atores, músicos, poetas..." É o que queremos como resposta.


Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/rio/zona-oeste/coletivo-artistico-realiza-primeira-feira-literaria-de-realengo-6436389.html#ixzz29rchC4Es

Carminha Morais na Ana Maria Braga

video

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Vidas Entrelaçadas pelas Linhas do Tempo


Vidas Entrelaçadas pelas Linhas do Tempo


Introdução
Conta a lenda que três deusas gregas têm, nas mãos, o destino de toda a humanidade, tecendo o fio da vida, determinando o seu comprimento e o momento em que este deve ser cortado. São fios que se entrelaçam, que dão nós e que se desprendem ao longo da nossa existência. Muitos deles encontram-se amarrados durante toda uma vida e, por mais que tentemos nos soltar, arrebentá-lo ou esticá-lo o quanto der, ainda nos prendem para, um dia, nos sufocar de vez como uma corda que nos enrola até o pescoço, exigindo de nós serenidade e força para encarar os problemas. Assim é a vida, um grande emaranhado de laços que se entrecruzam.
Sílvia e Miriam, personagens principais desta obra de ficção, bem que devem existir aos montes por aí. No início, são apenas meras desconhecidas, que nem imaginam que poderiam se tornar grandes amigas, unindo para sempre o fio de suas existências. Mais que isso, os laços que as prendem são muito mais profundos e envolvem ainda muitos personagens dessa incrível história de dor, sofrimento, luta, determinação, coragem e perdão.
Dessa forma, aquilo que pensamos já ter passado pode um dia bater à nossa porta e nos cobrar atitudes que nem mesmo pensávamos ser capazes. Momentos que já vivemos fazem parte do que somos e representam a nossa essência, por pior que ela possa ser. Os erros, por sua vez, podem ser repensados, transformados em aprendizagem e superados. Ao lado deles,

o perdão tem papel fundamental, pois prova que atingimos a maturidade existencial e estamos prontos para novos desafios – que podem chegar no dia seguinte mesmo.
Só o tempo, portanto, pode determinar o caminho que cada fio pode tomar e nos mostrar que as trilhas por onde passamos não poderiam ser evitadas; eram, pois, essenciais à nossa busca pela perfeição. Se nos levaram a lugares obscuros, errantes, às vezes temos uma segunda chance, às vezes precisamos encarar, sacudir a poeira e seguir em frente, tentando o nosso melhor.
Os personagens dessa narrativa são ótimos exemplos dessa luta árdua, que é viver, pois como dizia Guimarães Rosa, "viver é muito perigoso".
Patrícia Estaky
;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;
Pró escreveu: "Caros leitores do blog e do Face... recentemente terminei de ler o livro da Carminha nossa escritora do Jardim Novo. Não sou nenhum critico literário para esmiuçar para voces o conteúdo, mas o que me surpreendeu foi uma trama muito bem elaborada e descrita de forma simples e coesa que não fica a dever a nenhum grande escritor...deste Br...asil a fora(seráque ela já é grande e não sa...
...bemos?). Recomendo a todos é um livro de formato pequeno que os devoradore de paginas, certamente levarão somente algumas horas pois são apenas 92 paginas que me satisfizeram neste feriadão, onde pude descansar e ficar longe de computador e somente me comuniquei com os amigos através de sinais de fumaça. Parabéns Carminha Morais! Professoras de Realengo..mostrem este livro aos seus alunos e digam a escritora é nossa vizinha..."
4444444444444444444444444444444444444444444444444444444444444444444444444444444


domingo, 6 de maio de 2012

Não sei por que bateu essa tristeza dentro do meu peito, uma vontade imensa de chorar. Talvez porque o mundo tenha mudado, as pessoas já não são as mesmas, os valores morais estão se perdendo pela imensa estupidez dos nossos governantes e a sua cúpula que em minoria regem leis para milhões de mentes,umas inteligentes,outras nem tanto,mas esses que legislam as leis para essa massa de gente pensante,sofredora que vivem a mercê de suas leis,regras e valores deturpados ,não parecem tão inteligentes ao votar a favor de assassinar, dissipar,extirpar vidas inocentes que são impossibilitadas de se defenderem. Se a mulher ficou grávida, se o filho vai nascer com anomalias ou não,isso faz parte dos planos de Deus,ninguém pode querer ser Deus,e com certeza essas pessoas não acreditam que existe um Deus que tudo vê e um dia vai separar o joio do trigo e jogá-lo no fogo ardente e juntos estarão também aqueles que se dizem católicos e que tiveram a oportunidade de votar contra o assassinato de criancinhas indefesas e cooperaram para que essa lei passasse.Esses são as bestas,palavra essa que os protestantes designam para o Santo Padre o Papa,esse homem revestido pelo santo sacramento,iluminado pelo Espírito Santo de DEUS,luta ardentemente pela preservação da vida em todos os sentidos.Bestas são esses Herodes da atualidade que mais uma vez na história perseguem os inocentes, e esse dia ficará na história como ficou o assassinato das crianças inocentes quando os soldados de Herodes assassinaram as crianças a procura do menino Jesus. Quem será o José da atualidade que fugirá com os meninos Jesus, e para onde?Se em todos os países dessa terra estão cheios de Herodes? Carminha Morais.
Hoje ficamos sabendo através dos noticiários que um jovem matou a sua avó,porque essa lhe pediu que largasse o video gaime e fosse estudar para a prova.Não faz muitos dias eu escrevi aquí uma nota pedindo aos pais que verificassem os jogos que seus filhos brincavam e hoje mais uma vez aconteceu as consequencias de deixarmos nossos filhos livres,sem nos preocuparmos em verificar o que eles andam... fazendo quando trancados em seus quartos. Eis o texto.


Como é bom ser criança!

por Carminha Morais

 Confesso que, apesar de ter sido uma criança muito pobre, como dizem os lindos versos da música do saudoso Ataulfo Alves, “eu era feliz e não sabia”. É verdade! Quando se é criança, não se pensa em nada, só queremos brincar, e muitos perdem a hora de ir para a escola e até de se alimentar por causa das brincadeiras. Quando eu era piquititinha lá, na cidadezinha de Iúna,onde eu nasci,ser criança não era tão diferente das crianças da cidade.Toda criança sonha com a paz dentro da família,se preocupa em perguntar à mãe o que tem pra comer no almoço.Não se preocupa em pedir à mãe para deixa-la ir à rua soltar pipa. Elas vão sem o consentimento mesmo, não sabem elas que um não da mãe como resposta é o amor que sentem por seus filhos e um aviso dos perigos que correm lá, fora. Na roça, no meu tempo, os brinquedos eram construídos por nós mesmos. Da casca da abóbora que a minha mãe fazia para o almoço, eram construídos carrinhos,e o boi que puxava o carrinho era uma abóbora verde. A peteca era feita com caixa de fósforo cheia de areia e envolta em palhas de milho e penas para enfeitar. Corríamos atrás das galinhas para arrancá-las! As brincadeiras de pular amarelinha eram riscadas com cacos de telhas no chão do terreiro.Nossas bonecas eram confeccionadas com enchimento de retalhos de pano, e o cabelo feito da palha do milho— quando não era feita da própria espiga do milho. Quando chovia, não podíamos brincar subindo nas árvores frutíferas porque podíamos escorregar, mas ficávamos na porta da sala, contando os pingos da chuva que caía no terreiro. Era um tempo bom, porque as crianças não tinham maldades, eram inocentes, tão inocentes que, no dia em que chovia granizo, era uma festa para nós, ficávamos no terreiro esperando as pedras de gelo cair para chuparmos como se fossem picolés. Além disso, também brincávamos livres pelos campos sem medo de encontrarmos o perigo. Aos domingos, enquanto nossos pais participavam da Santa Missa, aproveitávamos para brincar de pique-esconde e correr em torno do coreto com os nossos amiguinhos. Que saudades desse tempo! Contávamos histórias enquanto esperávamos a boia ficar pronta, que às vezes nem era aquilo que nós gostávamos de comer, mas não podíamos escolher, até mesmo porque não tinha muito o que escolher, tinha que dar graças a Deus pelo alimento na mesa, fruto da terra e do trabalho de meu pai e dos meus irmãos. Hoje, as crianças também são felizes a seu modo. A maioria amanhece em frente a um vídeo game, poucos amigos ou ás vezes nenhum, não procuram as brincadeiras de criança, não se entrosam com ninguém, não querem ir a um cinema ver um filme. Se vão, ficam emburrados com os pais, o que querem é ficar em frente a uma televisão ou um vídeo game brigando com o bandido do jogo — ou às vezes, dependendo do jogo, ele é o próprio bandido. PAIS, precisamos prestar mais atenção nos jogos com que os nossos filhos se divertem, pois alguns são perniciosos para a construção da sua personalidade. A educação e a criação dos filhos são responsabilidades nossas e não dos professores, essa função é dos pais para que os seus filhos se tornem homens responsáveis e motivo de orgulho e também para que eles possam um dia se lembrar e dizer “como é bom ser criança”!. Carminha Morais
Por Carminha Morais Um ano se passou, parece que foi ontem! Nossos filhos saíram de casa rumo a escola Tasso da Silveira para adquirir cultura,aprender a conviver em sociedade,buscar conhecimento para se realizarem profissionalmente e buscar uma vida melhor para si e para os seus.Nos abraçou, alguns, aquele abraço rápido, pois tinha pressa de chegar à escola e rever os seus amiguinhos, as meninas de se encontrar com as colegas e papear sobre aquele gatinho de sua sala,outros deram aquele abraço apertado, demorado,como se soubessem que seria o último abraço que dariam aquelas pessoas que os amavam com tanta força,pareciam se despedir. Nos beijou e disseram:tchau pai,tchau mãe, daqui a pouco eu volto.Mas os caminhos desses pequeninos grandes homens já estava traçado por uma mente doentia, maquiavélica,que tendo em seu coração uma pedra ao invés de músculos,sem amor,e com ideais malfadados,não se importou em destruir tantas vidas inocentes com a desculpa de ter sofrido bullying.Essa palavra que foi motivo para atitudes insensatas desse e de muitos outros jovens pelo mundo afora, fez recair sobre as nossas crianças dessa escola,nesse dia 7 de abril de 2011.Nesse dia o Senhor Jesus preparou um grande banquete lá no céu,no qual está sentado a direita do seu pai o nosso Deus,que é amor e mansidão,e Jesus disse a essas crianças:Vinde benditos de meu pai, para a festa que para vocês está preparada,vocês hoje estão fazendo parte dos coros de anjos que a todo momento dizem,Glória a Deus nos mais altos céus.Vocês se tornaram anjos de Deus e nosso protetor aqui nesse inferno em que se tornou o nosso habitat. Carminha Morais
Por Carminha Morais Nesse momento são 12.00.Está chovendo muito,precisei fechar minha janela pois os pingos estavam caindo dentro do recinto.As gotículas de chuva batem na vidraça e escorrem para o telhado,e penso...elas sabem para onde vão,seguirão o caminho que foi traçado para que elas se unam as outras gotículas e formem um lago e juntas se encontrem com os rios e esse as abraça chegando ao mar.Essa é a finalidade de ser gotas.Isso é o que somos.Somos gotas que no fim se torna um mar,um mar de reconhecimento do seu caminho percorrido, de suas tristezas,dúvidas,incertezas,aprendizado,conhecimento que nos faz crescer para uma vida no futuro que é surpresa para todos nós.Muitos na ânsia de descobrir o que lhe reserva o futuro,fica pelo caminho perde tempo procurando a felicidade e perde a vontade de viver.Não importa se a gota que eu sou não tem importância para muitos,pensemos da seguinte forma: Demore o tempo que tiver que demorar para que eu percorra o meu caminho,mas quero percorrê-lo sabendo e tendo a certeza que um dia encontrarei o meu mar,mar de vitórias e realizações.Vamos ser gotasssssssss, Carminha Morais
Precisamos aceitar as pessoas como elas são, mas é tão difícil. Porque existe pessoas que nem sempre se mostra como ela é verdadeiramente. Falsidades,personalidades duplas,para uns se mostram amorosas e compreensivas,quando na verdade habita dentro dela o rancor,a crueldade no falar,enredam todos que estão a sua volta,e essas sem malicias caem nas redes do ardiloso e pratica a injustiça.Quantas vezes estamos ao redor de muita gente e nos sentimos só,tristes,parece que estamos sobrando naquele lugar. A nossa postura como cristãos é de procurar entender essas pessoas, perdoar.Pois elas estão enganado a si mesma,acredita piamente que o Espírito Santo de Deus habita em seu coração, mas magoa, maltrata o seu irmão.Trás no coração a amargura de seus sonhos reprimidos.E quando acontece algo bom em sua vida acredita ter vindo das graças de Deus, mas o encardido, como dizia nosso amado Padre Léo,ele é astuto, temos que vigiar nossos atos, fazer como Salomão,pedir a Deus Sabedoria para agirmos e não maltratar o nosso próximo.Deus habita num coração puro e não num coração cheio de mágoas,rancores, e ardiloso contra o seu irmão.Perdoar é o melhor caminho, mas perdoar de verdade, fazer uma faxina e arrancar tudo de ruim que habita em nosso coração.Pedir ao Pai:Dá-me um coração igual ao teu. Carminha Morais.
Hoje estou muito triste,angustiada,não estou me sentindo bem fisicamente.Meu coração está como aquele mar revolto,no dia em que Jesus andou sobre as águas e os discípulos pensaram que ele era um fantasma.Senhor te peço, abranda meu coração como fizestes com o vento revolto que levou o barco de Pedro até a margem do mar.Acalma e abranda meu coração angustiado,choroso,entristecido.Tira de dentro de mim esse peso que eu carrego pelo sofrimento das pessoas como se eu fosse responsável por eles.Eu não sou o Senhor,tu já destes a vida por todos os nossos pecados. Eu sofro todos os dias por me preocupar com o sofrimento alheio, e muitas vezes esqueço de me cuidar.Afasta Senhor esse fantasma que querem colocar em nossa mente,fazendo-nos revoltar com o seguimento de nossa fé.Dai -me Senhor o discernimento para compreender as coisa que vem de ti,e a sabedoria para aceitá-las quando for o momento. Carminha Morais
< Agenda Velha Carminha Morais Essas palavras tão simples que ora escrevo me vieram à mente numa certa manhã. O dia estava apenas começando, a janela do meu quarto estava entreaberta como de costume, então ele chegou devagarzinho, me cumprimentou com o seu hálito quente, sem nem mesmo me perguntar se eu estava disposta a senti-lo naquela manhã de primavera, pois já virou rotina eu acordar me sentindo indisposta e de mau humor –deve ser da idade,pensei –mas naquele momento quando poderia imaginar tão maravilhoso despertar? Esse dia seria diferente, eu tinha a certeza, pois o calor que emanava do telhado do vizinho àquela hora da manhã não era normal. Levantei-me apressada e pensei: isso dá um poema.Eu, que estou no meu dia a dia envolvida com os afazeres domésticos de minha casa,não tenho muito tempo para ficar escrevendo tudo o que acontece. Porém, nesse dia resolvi pegar uma agenda velha que estava ao meu alcancee,engraçado que, essa agenda não tem nem mais espaço, pois ela se tornou o meu caderno de emergências, fica jogada de um canto ao outro e,quando não encontro um papel,é nela que sempre há um cantinho para eu anotar alguma coisa.Porém, naquela manhã, me lembrei dela e fui bisbilhotá-la, lá eu encontrei várias anotações antigas! Letras de músicas compostas para os eventos de Encontro de Casais com Cristo, do qual faço parte. Essa letra aqui,por exemplo, foi escrita no ano de 1998 e é muita coincidência, pois ela também fala sobre o sol. Nós somos filhos do sol Somos guerreiros do Deus de amor Lutamos contra a opressão, desigualdade, desunião. A força que nos conduz vem do Senhor, meu Salvador Unidos no coração, pois Jesus é o capitão. Agora vamos nos unir, pois Jesus Cristo há de vir Queremos que a igreja seja a nossa fortaleza Com vocês que estão aqui. Pasmem! Encontrei também receitas da Ofélia, da Ana Maria Braga. Meu Deus!Quantas coisas eu encontrei nesse caderno que me despertaram saudades! O nome das crianças rabiscadas por eles, mania que todos nós temos de ficar escrevendo o nosso nome em qualquer lugar, mas essa letra estava ainda em formação e um pouco torta nas linhas do caderno e hoje cada um deles está encaminhado na vida, mas a agenda ainda está aqui, comprovando tudo o que digo. Sei que, para algumas pessoas, isso que estou escrevendo pode parecer meio bobo, mas para mim está sendo uma volta ao passado. As lembranças ressoam em minha mente e tenho vontade de chorar, mas isso é muito bom, principalmente porque eles ainda estão perto de mim. É certo que cada um tem a sua vida, e alguns pouco tenho visto, mas a gente sempre se encontra nos momentos de festa familiar.E, ao virar a página, encontro outro verso que escrevi e dei o nome de Rei Sol. Rei Sol Todas as manhãs, ele entra pela minha janela, Vem devagarzinho, me beija aos pouquinhos, Fazendo-me ruborizar. Às vezes, eu sinto me queimar por inteiro Por dentro eu gosto, mas ele não se importa, Continua a me beijar, fazendo-me acordar. Então, me levanto depressa, sem dó nem piedade Você, que me ilumina, eu fecho a cortina. E o boto pra fora, mas você é teimoso, Se sente gostoso e volta a me abraçar. Então, eu me deleito, desisto e aquento E voltas a me apertar, querendo me queimar. Abro a cortina porque não tem jeito Ser sol é perfeito pra quem quer amar. Vieram como num relâmpago as lembranças de minha infância. Ah, quantas saudades! Confesso! Confesso que chorei assim como faço agora. As lembranças ressaltam em minha mente, procurando espaço e querendo cada uma delas ser a primeira em meus pensamentos, mas que bobagem essa disputa! Não sabem elas que todas são importantes em minha vida? Até mesmo aquelasque gostaria de apagar, mas isso não faço porque elas também fazem parte dessa história e me fazem crescer. Cada momento que vivi nesse tempo e espaço são lembranças que não quero apagar. E, para que eu não deixe nenhum momento de fora, é que pretendo um dia escrever as minhas memórias. Mas por onde começar? Devo começar pelas lembranças boas ou pelas que me fizeram sofrer? Mesmo que eu não queira, sei que vou chorar e vou sofrer novamente, porque, como diz o ditado, lembrar do passado é sofrer duas vezes!Mas como deixar de sofrer se em minhas lembranças estão presentes as pessoas que amo e que já se foram? Saudades! Ah, quantas saudades! Tão forte que chega a doer o meu peito, mas sei que não tem mais jeito, tudo o que eu podia fazer para que eles não sofressem na medida da minha capacidade humana eu fiz, e a morte vem para todos independente de sermos rico ou pobre, preto ou branco, todos nós um dia receberemos a sua visita, por isso quero deixar registrada a minha passagem por essa terra, que Deus um dia criou para que nela nós habitássemos e vivêssemos as maravilhas criadas por Ele, usufruindo de uma forma que não nos percamos, pois tudo nos é permitido, mas nem tudo nos convém.